domingo, 6 de novembro de 2011

Você se acha um artista disciplinado?


certa vez me perguntaram sobre o que eu achava dos artistas muito disciplinados: queles que fazem e refazem esboços, que fazem inúmeros estudos de personagens antes de desenha-los de fato, que estão a toda hora estudando anatomia e perspectiva. Aproveitando essa questão interessante, falarei um pouco a respeito de MINHA visão pessoal sobre o planejamento e disciplina no trabalho dos quadrinhos.

Quando comecei a fazer quadrinhos, eu realmente achava muita frescura da parte dos artistas que treinavam muito seu traço, que elaboravam projetos cheio de regras. Eu adorava dar uma de "rebelde sem causa". Mas, com o tempo ( graças a deus), com um pouco mais de amadurecimento, vi como coisas como disciplina e planejamentos são imprescindíveis.

Planejamento:

Mas, afinal, pra que serve esse tal planejamento?
A resposta é simples: o planejamento serve pra que quando você tenha uma boa ideia (supondo que ela seja boa) possa transformá-la em historia boa e compreensível ao leitor. Pois, sem planejamento, você acaba apresentado não uma historia, e sim uma ideia ao leitor; e lembre-se: Não espere que alguém entenda uma ideia sua por sí só, afinal ela é sua e apenas é clara em seu pensamento.

Pra isso é que com o desenvolvimento dos quadrinhos por entre as décadas, foram criadas uma serie de regras e macetes que não convém ignorar. Todas essas regras foram criadas não pra deixar a coisa chata de se fazer, e sim para que o que o leitor tenha nas mãos no final seja algo bom, e não um amontoado de erros; para que a produção, desde o desenho até o final impresso saim bons.

Para os iniciantes eu creio não ser um pecado assim tão mortal pular algumas normas de produção, mas pra quem tem alguma noção da coisa, isso é bem diferente.

Por exemplo, em uma produção entre desenhista e roteirista.

- Da parte do roteirista: esse tem a Obrigação de quando elaborar seu roteiro, certifica-se que o mesmo passa com total capacidade e clareza suas ideias e sua visão do que quer que aconteça na historia ( desde fisionomia e personalidade de personagens, a cenários e etc).

Ai vem a pergunta: O que custa analisar o que foi feito, e se preciso rescrever com mais detalhismo o que se quer antes de entregar ao desenhista? afinal, ele precisa de tudo preto no branco, pois desenhistas não lêem pensamentos, e com isso não poderá culpa-lo por ter feito algo diferente do que você queria, se você NÃO especificou direito o que queria.

Da parte do desenhista:

- Depois de receber o roteiro, pelo amor de deus, não vá querer desenhar de primeira, já na folha final! Isso na MINHA opinião só significar ser duas coisas: Ou preguiça ou prepotência. Preguiça de elaborar, fazer testes, esboços, apresentá-lo ao roteirista e discutir com ele o que pode ou não ser melhorado, se o que ele esboçou pra pagina final passa a ideia ou a intensidade que o quadro merece. Ou prepotência de achar( ao contrario de muitos mestres do desenho, que apesar de sua experiencia, mesmo assim fazem esboços e projetos) vai conseguir fazer algo bom logo de primeira.
Ai vem a pergunta: Vai arrancar pedaço fazer mais de um esboço pra mesma pagina ( não custa nada, pois eu disse ESBOÇO ¬¬), estudar direitinho o roteiro, apresentar ao roteirista, discutir com ele, e depois que fechar definitivamente o que deve ser feito, começar a desenhar e finalizar de fato?

Sei que muitos podem achar que falo bobagem. Sendo assim eu digo: Quadrinho é uma forma de arte e expressão, por tanto, coisa seria. E se não é pra levar a serio, vai por mim, não comece... nem tente. Já tem porcaria o suficiente na net.

Imagine você um arquiteto preguiçoso ou metido a rebelde, que não faz os cálculos corretos, desenha uma planta de um prédio de qualquer jeito e entrega na mão do mestre de obras. Qual será o resultado?

Regras são chatas? são!
São necessária? São!

Disciplina:

O que você me diz do artista que se recusa a melhorar, que não treina, que não estuda? Eu pessoalmente comparo ele com um maratonista que quer vencer as olimpíadas, mas como treinamento passa o dia no sofá comendo salgadinhos e hambúrguer e tomando cerveja. Ou ao cara que aprende a escrever seu nome, e para seu estudo por ai, por que já é capaz de assinar documentos sozinho.

Não há nada pior do que ter em mãos um trabalho cheio de erros de anatomia e perspectiva, de coerência. E o pior, tem alguns que ao ouvirem criticas dizem quer aquilo é seu ESTILO.
Eu pessoalmente acho que não arranca pedaço treinar de vez em quando, se perguntar se seu trabalho está bom, em que você é fraco e precisa melhorar. Não se iluda, há muita diferença entre estilo e falta de técnica. Mas só cabe a você perceber essa fronteira.

Nada melhor do que um artista com autocritica, que não precisa que alguma boa alma chegue e diga: "meu, olha aquele braço, ou aquela perna. Ta torto, fora de simetria", que sozinho é capaz de reconhecer o que pode melhorar, seja por que de fato está ruim, ou por simples exigência mesmo. Acho que é melhor sobrar que faltar, em minha opinião.
Se pergunte quando foi a ultima vez que você fez um estudo... Não faz? é frescura? Parabéns! Não sei o que você ta fazendo aqui ainda. A Marvel está pegando gente, sabia?

Vou até dividir uma perola que já ouvi por ai " Não vale a pena fazer algo que preste no Brasil. Por isso que eu faço de todo jeito mesmo" O.o

Ninguém chega a lugar algum com preguiça. E se desacredita o quadrinho, e por isso não dá o seu melhor, que acha que não vai pra frente, Por que faz? Não é muito logico, não é?

E todo que foi dito se aplica ao roteirista também.

Aos que leram, eu digo, esse texto é curto e simples, porque não se trata de uma tese de mestrado, e sim de uma resposta MINHA e uma questão de um leitor do blog. A todos, obrigado por lerem.

Por> Tay

3 Pitacos gêniais:

Anônimo disse...

nada como inflar o proprio ego, parabens

Anônimo disse...

eu curti...um pouco duro...mas não deixa de ser verdade...se não for pra dar o melhor, acho melhor nem tentar.

igor/Otaku disse...

eu acho que um dos maiores problemas tanto de desenhista quanto de roteirista é o ego. aceitar que não é tão foda assim...

conheço gente que fica ressentido se alguem pedir pra refazer um desenho ou um roteiro. eu acho isso infantilidade e falta de proficionalismo.

Postar um comentário